Eliminatórias da Copa do Mundo
07/10
19:30
Poliesportivo Cachamay
Eliminatórias da Copa do Mundo
10/10
16:00
Estadio Metropolitano
Eliminatórias da Copa do Mundo
14/10
20:30
Arena da Amazônia
Ajude o Site!
Faça Uma Doação
(Qualquer Valor)

domingo, 1 de março de 1970

Brasil no Campeonato Sul-Americano de 1953

.:: Brasil, vice-Campeão ::.
Brasil
Uma das Formações do Brasil no Campeonato Sul-Americano de 1953
Em pé: Djalma Santos, Ely do Amparo, Brandãozinho, Barbosa, Pinheiro e Alfredo;
Agachados: Mario Americo (Massagista), Cláudio, Didi, Baltazar, Ademir e Rodrigues;
Crédito da Imagem: www.cbf.com.br/divulgação
22º Sul-Americano Peru 1953
O Campeonato Sul-Americano de Futebol de 1953, foi a 22ª edição da competição entre seleções da América do Sul. Devido a problemas relacionados à infraestrutura, contudo, a sede precisou ser transferida para o Estádio Nacional de Lima, na capital do Peru, sob a responsabilidade da Associação Paraguaia de Futebol (APF). Participaram da disputa, além de organizadores e anfitriões, as seleções de Brasil, Uruguai, Chile, Bolívia e Equador. Colômbia e Argentina, por outro lado, decidiram ausentar-se, sendo que a equipe nacional alviceleste, por desavenças entre AFA e CBD, já não havia participado da competição anterior, em 1949, no Brasil. Quanto ao sistema de disputa, a regra permanecia idêntica, com turno único e um jogo extra para definir o campeão em caso de empate. (Fonte: alambrado.net)

O Torneio:
O Brasil entrou como favorito à conquista do Campeonato Sul-Americano de 1953. Era o então detentor da taça (foi campeão no Maracanã, em 1949). Contava com vários remanescentes da Copa do Mundo de 1950 (Barbosa, Castilho, Nilton Santos, Bauer, Danilo, Noronha, Ademir, Baltazar e Rodrigues) na qual, foi vice-campeão mundial.

O elenco mesclava a experiência de Barbosa, Danilo Alvim, Bauer, Zizinho e Ademir de Menezes, com jovens como Julinho Botelho e Pinheiro, e até alguns futuros campeões do mundo cinco anos depois: Castilho, Gylmar, Djalma Santos, Nílton Santos e Didi. O técnico era Aimoré Moreira, o Inventor da marcação por zona no futebol brasileiro (e irmão de Aymoré Moreira).

A missão brasileira ficou relativamente mais fácil com nova ausência da Argentina e a tentativa de renovação da seleção uruguaia, que enviou uma equipe muito jovem e inexperiente. Havia apenas uma grande ameaça ao título: o Brasil nunca havia vencido uma Copa América fora de seu país. Já tinha três títulos, mas sempre jogando em casa: 1919, 1922 e 1949. Até então, o único troféu ganho no exterior havia sido o Campeonato Pan-Americano de Futebol de 1952, em Santiago, capital do Chile. E esse título foi conquistado por basicamente o mesmo elenco da Copa América de 1953.

O torneio foi disputado no formato de pontos corridos e foi uma intensa batalha. Ao fim de seis partidas para cada, Brasil e Paraguai terminaram empatados com 8 pontos, o que obrigou a disputa de um jogo desempate.

O Brasil havia vencido quatro jogos (8 a 1 na Bolívia, 2 a 0 no Equador, 1 a 0 no Uruguai e 3 a 2 no Chile) e perdido dois (1 a 0 para o Peru e 2 a 1 para o Paraguai).

O Paraguai tinha vencido três (3 x 0 sobre o Chile, 2 x 1 na Bolívia e 2 x 1 no Brasil), empatado dois (0 x 0 com o Equador e 2 x 2 com o Uruguai) e perdido um (empatou por 2 x 2 com o Peru, mas foi punido com a derrota nos tribunais, devido ao comportamento anti-desportivo por ter feito uma alteração além das permitidas e pelo fato de um atleta ter chutado o árbitro). Ou seja, se o resultado de campo fosse mantido, o Paraguai teria sido campeão sem precisar do jogo extra. Mas ele ocorreu. Mais de 35 mil pessoas encheram o estádio Nacional, de Lima, para assistir à decisão.

E os paraguaios foram implacáveis na etapa inicial. Aos 14 minutos de jogo, Atilio López inaugurou o marcador. A vantagem foi ampliada três minutos depois, por Manuel Gavilán. No fim do primeiro tempo, aos 41′, Rubén Fernández fez o terceiro. Parecia que estava tudo decidido. Mas o Brasil não se deu por vencido e diminuiu com dois gols de Baltazar, o “Cabecinha de Ouro”, aos 56′ e aos 65′. Mas foi só. Foi o primeiro título da história do futebol do Paraguai, com gosto de revanche sobre a Seleção Brasileira, que o havia goleado na decisão quatro anos antes. Mais uma vez o Brasil não conquistava o torneio fora de casa. (Fonte: trespontos.blog.br)

Elenco da Seleção Brasileira - Brazil National Team Squad
Nome Completo Alcunha Clube
1 GK Moacyr Barbosa do Nascimento Barbosa Vasco/RJ 1
2 GK Carlos José Castilho Castilho Fluminense/RJ 6 9
3 GK Gilmar dos Santos Neves Gilmar Corinthians/SP 1
4 LE Nilton dps Santos Nilton Santos Botafogo/RJ 6 1
5 DF Haroldo Rodrigues Magalhães Haroldo Vasco/RJ 2
6 DF João Carlos Batista Pinheiro Pinheiro Fluminense/RJ 6
7 DF Dejalma dos Santos Djalma Santos Portuguesa/SP 7
8 MC Waldyr Pereira Didi Fluminense/RJ 5
9 MC José Carlos Bauer Bauer São Paulo/SP 4
10 MC Danilo Faria Alvim Danilo Alvim Vasco/RJ 5 1
11 MC Ely do Amparo Ely Vasco/RJ 3
12 MC Alfredo Eduardo Freitas Noronha Noronha São Paulo/SP
13 MC Antenor Lucas Brandãozinho Portuguesao/SP 4
14 MC Alfredo Ramos dos Santos Alfredo Ramos São Paulo/SP 2
15 AT Ademir Marques de Menezes Ademir Vasco/RJ 3 1
16 AT Cláudio Christovam Pinho Cláudio Pinho Corinthians/SP 3 1
17 AT Oswaldo da Silva Baltazar Corinthians/SP 6 3
18 AT Ipojucan Lins de Araujo Ipojucan Vasco/RJ 5 1
19 AT Júlio Botelho Julinho Portuguesa/SP 6 5
20 AT José Lázaro Robles Pinga Portuguesa/SP 6 2
21 AT Francisco Rodrigues Rodrigues Palmeiras/SP 5 2
22 AT Thomas Soares da Silva Zizinho Flamengo/RJ 5 1
Coach: Aymoré Moreira Aymoré Moreira Confederação Brasileira de Desportos
Capitão da Seleção Brasileira: Zizinho (5x) e Cláudio Pinho (1x);
Estreantes: Castilho, Gilmar, Haroldo, Pinheiro, Djalma Santos, Didi, Brandãozinho, Alfredo, Baltazar, Ipojucan, Julinho, Pinga e Rodrigues;
Cortados após os Treinamentos: Paulinho de Almeida e Salvador (Internacional/RS), Hélvio (Santos), Amorim (Atlético/MG) e Anísio (Cruzeiro/MG);
❏ O atacante Julinho Botelho foi vice-artilheiro do torneio com 5 gols marcados;

Campanha Brasileira

1
1 de Março – 1ª Rodada – Estadio Nacional, Lima
Brasil 8 x 1 Bolívia
Julinho, 18'
Julinho, 20'
Rodrigues, 25'
Pinga, 39'
Julinho, 42'
Rodrigues, 44'
Julinho, 52'
Pinga, 60'
Ficha Agustín Ugarte, 67'

2
12 de Março – 2ª Rodada – Estadio Nacional, Lima
Brasil 2 x 0 Equador
Ademir, 18'
Cláudio Pinho, 55'
Ficha

3
15 de Março – 3ª Rodada – Estadio Nacional, Lima
Brasil 1 x 0 Uruguai
Ipojucan, 87' Ficha

4
19 de Março – 4ª Rodada – Estadio Nacional, Lima
Peru 1 x 0 Brasil
Luis Navarrete, 51' Ficha

5
23 de Março – 5ª Rodada – Estadio Nacional, Lima
Brasil 3 x 2 Chile
Julinho, 1'
Zizinho, 53'
Baltazar, 70'
Ficha Francisco Molina, 62'< br/> Francisco Molina, 76'

6
27 de Março – 6ª Rodada – Estadio Nacional, Lima
Brasil 1 x 2 Paraguai
Nilton Santos, 12' Ficha Atilio Lopez , 49'
Pablo León, 89'

7
1 de Abril – Dedempate – Estadio Nacional, Lima
Brasil 2 x 3 Paraguai
Baltazar, 56'
Baltazar, 65'
Ficha Atilio López, 14'
Manuel Gavilán, 17'
Rubén Fernández, 41'

.:: Classificação Final ::.
Torneio Jogos Vitórias Empates Derrotas Gols Pró Gols Contra Posição
7 4 0 3 17 9
.:: Links Relacionados ::.
1916 1917 1919 1920 1921 1922 1923 1924 1925 1926
1927 1929 1935 1937 1939 1941 1942 1945 1946 1947
1949 1953 1955 1956 1957 1959 1959e 1963 1967 1975
1979 1983 1987 1989 1991 1993 1995 1997 1999 2001
2004 2007 2011 2015 2016 2019 2021

Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou do Post?
Deixe um Comentário ou Sugestão
Sua Opinião é Muito Importante!

Postagens mais visitadas